Não saem da cabeceira: 3 livros escritos por grandes mulheres

O fim de tarde é perfeito para encostar a cabeça no travesseiro e ler uma boa história que nos faça viajar sem sair do lugar, mas são tantas as opções de leitura que ficamos confusos na hora de escolher algo para ler.

Muitos são os escritores indicados por amigos e amigas, mas e as boas escritoras, você conhece? Caso queira saber mais sobre livros escritos por grandes mulheres e diversificar suas leituras, nós, da TOK, trazemos para você ótimas dicas de universos literários criados por escritoras!

Nada — Carmen Laforet

Livro Nada
Foto: Monalise Nogueira

Esse romance desmistifica um grande sonho: fazer faculdade em outro país. E é com isso em mente que a jovem Andrea viaja para uma Barcelona pós-guerra, na tentativa de graduar-se em Letras. Sem nada a perder, a jovem chega à cidade e hospeda-se na Rua Aribal, em um apartamento úmido e escuro pertencente à sua avó. Dentre todos os desafios enfrentados, um dos maiores é o de não se deixar levar pela excentricidade de sua família, que há anos dividem esse mesmo lugar.

Carmen Laforet tinha 23 anos quando concebeu, em 1945, esse livro, que permanece atual e, ainda hoje, divide opiniões pela profundidade sentimental de cada personagem da trama.

A Hora da Estrela — Clarice Lispector

Livro A Hora da Estrela
Foto: Francine Ramos

Macabéa é uma menina de 19 anos, vinda de Alagoas para morar com a sua avó no Rio de Janeiro, onde passou dias sendo castigada por não seguir à risca as imposições de sua avó. Após a morte de sua responsável, sua vida vira uma bagunça, desde uma péssima alimentação até o mal cheiro pela falta de banho. Essa breve tragédia tem seus altos e baixos e, de uma forma reflexiva, nos faz mergulhar de cabeça na trama, julgando e tentando entender as decisões tomadas pela protagonista.

A Hora da Estrela é contada por um narrador chamado Rodrigo S.M., que observa e expõe os conflitos externos e internos vividos pela personagem. Esse foi o último livro de uma das mais importantes escritoras brasileiras do século XX, Clarice Lispector, publicado em 1977, mesmo ano de sua morte.

Tudo que tenho levo comigo — Herta Müller

Livro Tudo que tenho levo comigo
Foto: Remise Andrade

Léo é um alemão de 17 anos de que mora na Romênia e leva uma vida simples com a sua avó. Em uma época na qual a homosexualidade era considerada crime, ele esgueira-se pelos becos da cidade para saciar sua carência física e emocional ao se relacionar com outros homens. Além de assumir os riscos em uma União Soviética pós-guerra, é forçadamente levado para ajudar na reconstrução do território soviético atingido pelo exército alemão. O argumento de que sua origem não merece respeito é o que o leva a passar pelas mais tristes situações envolvendo fome, frio e discriminação, mas ele segue acreditando em uma promessa de retorno ao seu lar.

Herta Müller vive na Romênia, mesma origem do personagem Léo. Alguns de seus livros foram proibidos pelo regime ditatorial romeno, porém isso não impediu que suas obras continuassem sendo publicados em outros países, rendendo a ela o prêmio Nobel de Literatura em 2009!

E aí, conhece outros livros escritos por grandes mulheres? Nós, da TOK, adoramos dar e receber dicas de leitura! Conta pra gente: qual livro não sai da sua cabeceira?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *